------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
POR QUEM OS SINOS DOBRAM
David Hepner
 Cliff Burton era especial. Não precisava ser um frontman, como Geddy Lee ou Gene Simmons, para chamar a atenção para si. Também não era discreto, como John Paul Jones ou Roger Glover, e tocava com tamanha intensidade e coragem que os olhares do público se dirigiam hipnoticamente a ele. Além disso, Burton não se restringia apenas a acompanhar e mandava ver em solos acachapantes. A inesquecível (Anesthesia) Pulling Teeth, por exemplo, transcendeu o baixo e se tornou uma faixa clássica para os amantes do thrash metal em geral.  

Com seu conhecimento de harmonia e música erudita, Cliff modificou as composições do Metallica nos primeiros discos da banda e transmitiu a seus companheiros – James Hetfield, Kirk Hammett e Lars Ulrich – um jeito diferente de fazer música pesada.

No entanto, um fatídico acidente com o ônibus de turnê do Metallica, em 1986, encerrou precocemente a promissora carreira de Burton. O baixista tinha apenas 24 anos e já havia cravado seu nome na história do instrumento. Se estivesse vivo, completaria 50 anos em 2012. Não podíamos deixar o ano passar sem uma homenagem a esse músico emblemático, que se tornou lendário mesmo tendo vivido tão pouco e gravado somente três discos com o Metallica.

- O carismático Phil Lynott assumiu o papel de líder do Thin Lizzy e entrou para o panteão dos baixistas de rock. Tornou-se um mito em seu país natal, a Irlanda, onde foi homenageado até com uma estátua em tamanho real. Relembre a trajetória desse músico emblemático em uma ótima reportagem.

- Na seção Graves & Grooves, leia uma entrevista com Rodolfo Krieger (Cachorro Grande) e saiba como foi o show que a banda Kiss realizou em novembro na cidade de São Paulo.

- Na aula para iniciantes Bê-á-bass, Fernando Tavares destrincha a linha de baixo da canção Fácil, do Jota Quest. Aproveite também as lições sobre colcheia suingada, modo lídio b7, notas abafadas, criação de grooves e como tocar de ouvido. Na transcrição deste mês, estude Lábios de Mel, um hit com a voz inconfundível de Tim Maia e o belo baixo de Jamil Joanes.

- Na seção Soundroom, avaliamos os baixos Fender Precision e Jazz da série Select e os amplificadores Peavey TNT 115 e Headliner. Em Dicas Técnicas, mergulhe no mundo das workstations de áudio digital. Divirta-se!

Matéria completa na Revista Bass Player 15/Dezembro de 2012.
Para adquirir seu exemplar clique aqui.

[VOLTAR]
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
LEIA TAMBÉM
Mentalidade hermética (27/03/2017)
Músico criticar preconceito com preconceito é inadmissível, ponto contra! Embora não seja mais um ... VEJA MAIS
Diletantismo (07/02/2017)
Numa tarde, há algumas semanas, encontrei o exemplar de um livro meu em um sebo. Aquilo me encheu de alegria. Por mais que ... VEJA MAIS
Comova-se! (23/12/2016)
A falta é um buraco que não se preenche. E não me refiro à falta de algum produto, de um objeto ou um ... VEJA MAIS
Ofício e sacrifício (23/11/2016)
Até onde ou quanto você está disposto a seguir pelo seu ideal? Essa pergunta tem me perseguido bastante ... VEJA MAIS
Teoria da ebulição (19/10/2016)
Enquanto vivemos uma feira aberta de ódio, em que se trocam ofensas, intolerâncias e preconceitos com tesão, ... VEJA MAIS
Patience (14/09/2016)
Recebi a mensagem de um leitor perguntando o que achei da volta de Duff McKagan e Slash ao Guns N’ Roses. A resposta foi a ... VEJA MAIS
 
 



Coloque o seu estudo em dia!






Assinaturas | Contato | RSS | Bass Player U.S |
© Copyright . 1996 . 2011 | BASSPLAYER.COM.BR - MELODY EDITORA | Todos os direitos reservados | Site desenvolvivo por Gustavo Sazes | Abstrata.net